Seguidores

sábado, 14 de janeiro de 2017

Vamos atrás de um pouco de paz...


Sou um saudosista. Penso no meu passado. Viajo até lá. Rearticulo o que aconteceu. Tento tirar mais uma casquinha do que houve de bom. Só não me atrevo a soltar o que vivi de ruim. Observo de longe. Nisso sofro com o que poderia ter sido e com o que foi. Tento sempre reaprender algo.
Nisso de pesar pelo que não foi, uma resposta certeira, uma escolha mais impulsiva ou uma expectativa mais explorada, meu modo sofrência desperta. Que caos! Começo a achar o que não devia. Crio teorias mirabolantes. Transformo em bagunça um presente em plena ordem.

Mas, tenho que colocar na minha cabecinha teimosa que a vida é perfeita como tem que ser. A vida nos traz aquilo que precisamos para aprender. É isso que nos dizem a todo o momento. Se a gente sofre, é para aprender. Se a gente sorri, é para, de alguma forma, aprender também. Não podemos crer em uma vida inexplicável. Não podemos adotar cegueira e acreditar que as coisas são estanques, invariáveis, imutáveis, para sempre, por, simplesmente, serem. Sem porquês. Sem significados. Sem o objetivo de nos tornar melhores.
E 2016 foi um aprendizado e tanto. Uma bola de neve com tudo o que se tem direito. Foi daqueles anos que não esquecemos, mesmo que queiramos. Toda a vez que o relembrarmos sentiremos as dores e as alegrias que nos trouxe. Alguns dizem que poderia ter sido pior, mas, digo, imediatamente a isso, que foi como deveria ser. Até o primeiro dia desse ano, lembro bem, 2015 era o mais dos tenebrosos dos anos. 2014, 2013, 2012 e assim por diante, também haviam sido. E a cada ano vamos colocando esse título merecidamente na tentativa de dizer “bem, o próximo ano será melhor, tenho certeza” como um sopro de esperança para aquilo que ainda vamos viver.

E o que poderia ter ocorrido de diferente para ser melhor? Talvez menos trash? Quem sabe menos down? Menos dor? Menos retrocessos? Menos guerra de todos os lados, virtual ou real? Bom, ao menos tudo o que esteve ao nosso alcance, tudo o que foi em excesso, deveria ter sido freado. Afinal, não é culpa de um ano (por mais clichê que isso seja). Muito do que acontece parte de nós, das nossas escolhas, das nossas vontades.
A vida acontece como tem que ser. Com a gente vivendo esses 365 dias que nos são dados de bandeja. A vida é uma viagem (louca) que tentamos programar. Com todos os cuidados. Com todas as nossas vontades. Faz planos. E, muitas vezes, consegue. Em outras, não.
Ela tem início, meio e fim. E o meio disso tudo é o que realmente importa. Aquilo que vivemos e aprendemos dolorosamente ou não. É o caminho, o percurso. Todos dizem. É nele que a gente vive, joga-se e acanha-se. Tenta de todas as maneiras encontrar motivações para seguir. Briga. Ama. Corre. Odeia. Chora. Grita. Bate o pé. Fica bem. Vai aos extremos. Tudo o que se tem direito. Tudo como deve ser. Tudo o que a gente desejar.

Mas a vida é teimosa. E ela está certa em nos tirar de uma inércia que muitas vezes não nos faz bem. De não ficar paradinha contando com a nossa (nada) boa vontade. Se ficarmos sem ação, ela age como bem entender. Bem faz ela. Arrasta-nos para onde desejar, joga no primeiro ônibus que chegar. Sem dó.
E no final de tudo, a vida é partir. Partir para o amanhã. Partir para o necessário. Viver para mudar. Desbravar o que o temos medo. Que é logo ali, é aqui. Como se estivéssemos em uma rodoviária a espera do próximo ônibus que nos levaria para o destino decidido por nós. E, nós, fazendo escala, fazendo escola de vida, em cada local que chegamos, deixamos um pouco de nós e levamos um pouco dos outros. Porque, afinal, é isto que realmente importa: tudo aquilo que aprendemos nesse meio tempo. Não podemos nos queixar daquilo que nos propomos viver. A vida é para quem se atreve a dançar na chuva. Do contrário, observar o espetáculo, não tem graça.
Enfim, Tiago Iorc canta na música Alexandria “vamos atrás de um pouco de paz” e, depois desse tumulto que foi o ano de 2016, concordo de juntos buscarmos isso. De paz e algo a mais. Mais consciência daquilo que fazemos, já que o ano, seja ele 2016 ou 2017, é apenas um meio, caminho, feito por todos nós.
Esse texto é de "Thomaz Cunha" Do Blog: http://thocunhaescreve.blogspot.com.br
https://trendr.com.br/fim-de-ano-vamos-atras-de-um-pouco-de-paz-d6a2ae7c6f0b#.k1k9g41n5
https://www.facebook.com/thocunhaescreve/?fref=nf&pnref=story
Desejo a todos uma Feliz Ano! Feliz Vida! 
E como, tão bem escreveu "Thomaz Cunha" 
e canta "Tiago Iorc"...
"Vamos atrás de um pouco de paz!!!"
Um abraço e sempre muita luz!

sábado, 24 de dezembro de 2016

Feliz Natal! Felicidade sempre em todos os dias do Ano Novo...



Queridos(as) Amigos(as), mais um final de ciclo, mais um Natal!
Nestes momentos o Planeta que habitamos se envolve em vibrações
de amor e fraternidade, sentimentos que emanam de nós os habitantes...
Fico refletindo sobre tudo isso e pergunto-me:
Porque somente nestas horas?
Observo as nossas tendencias, sensações e sentimentos e, 
é claro, me auto observo...
Natal! De forma simbólica, comemoramos o Nascimento
do Meigo Nazareno, nosso Irmão Jesus!
Ele nos convida todos os dias a caminharmos seguindo suas 
luminosas pegadas... Ouvimos o convite e até dizemos que
aceitamos...Mas quando os desafios se apresentam e hora de  vivenciar
chega, esquecemos, na maioria das vezes  o comprometimento com o 
Amor e fraternidade! Até quando? E por quê?
Nesse momento meu coração está transbordando de gratidão...
Por mais um ciclo que se encerra, pela vida, pela oportunidade de ainda
estar "caminhando" nestas estradas do Planeta Terra... Buscando aprender com
tudo e com todos, com os quais tenho a felicidade de conviver!

Muito obrigada a todos!
 Muito obrigada Senhor da Vida!
 Muito obrigada Jesus!

Nice Pinto.





sábado, 1 de outubro de 2016

Estão voltando as flores...



Vê, estão voltando as flores
Vê, nessa manhã tão linda
Vê, como é bonita a vida

Vê, há esperança ainda...

Vê, as nuvens vão passando
Vê, um novo céu se abrindo
Vê, o sol iluminando...

Por onde nós vamos indo...
Por onde nós vamos indo...








Feliz Primavera! Renascimento, esperança,, fé, alegria e uma estrada perfumada a nossa frente...
Um abraço carinhoso e sempre muita luz em nossas vidas!

Nice.


domingo, 3 de julho de 2016

O caderno e a vida...



Sou eu quem vou seguir você
do primeiro rabisco até o bê-a-bá
em todos os desenhos coloridos vou estar
a casa, a montanha, duas nuvens no céu
e um sol a sorrir no papel

Sou eu que vou ser seu colega,
seus problemas ajudar a resolver
lhe acompanhar nas provas bimestrais, você vai ver
Serei de você confidente fiel,
se seu pranto molhar meu papel.



Sou eu que vou ser seu amigo,
Vou lhe dar abrigo, se você quiser
Quando surgirem seus primeiros raios de mulher
A vida se abrirá num feroz carrossel
E você vai rasgar meu papel

O que está escrito em mim comigo
Ficará guardado, se lhe dá prazer
A vida segue sempre em frente, o que se há de fazer
Só peço a você um favor, se puder
Não me esqueça num canto qualquer




[Mensagem]
Eu não sei se você se recorda do seu primeiro caderno, eu me recordo do meu.
Com ele eu aprendi muita coisa, foi nele que eu descobri que a experiência dos erros
Ela é tão importante quanto às experiências dos acertos
Porque vistos de um jeito certo, os erros,
Eles nos preparam para nossas vitórias e conquistas futuras
Porque não há aprendizado na vida que não passe pelas experiências dos erros...

O caderno é uma metáfora da vida,
Quando os erros cometidos eram demais, eu me recordo,
Que a nossa professora nos sugeria que a gente virasse a página.
Era um jeito interessante de descobrir a graça que há nos recomeços.

Ao virar a página, os erros cometidos deixavam de nos incomodar e a partir deles,
A gente seguia um pouco mais crescido.






O caderno nos ensina que erros não precisam ser fontes de castigos.
Erros podem ser fontes de virtudes!
Na vida é a mesma coisa, o erro tem que estar à serviço do aprendizado;
Ele não tem que ser fonte de culpas e vergonhas.
Nenhum ser humano pode ser verdadeiramente grande
sem que seja capaz de reconhecer os erros que cometeu na vida.

Uma coisa é a gente se arrepender do que fez! Outra coisa é a gente se sentir culpado.
Culpas nos paralisam. Arrependimentos não!
Eles nos lançam pra frente, nos ajudam a corrigir os erros cometidos.



Deus é semelhante ao caderno.
Ele nos permite os erros pra que a gente aprenda a fazer do jeito certo.

Você tem errado muito?
Não importa, aceite de Deus essa nova página de vida que tem nome de hoje!
Recorde-se das lições do seu primeiro caderno.
Quando os erros são demais, vire a página!


[Final]
O que está escrito em mim comigo
Ficará guardado, se lhe dá prazer
A vida segue sempre em frente, o que se há de fazer
Só peço a você um favor, se puder...
Não me esqueça num canto qualquer.

Padre Fábio de Melo
Compositor: Toquinho.



Relembrando a ternura desta fase, em que a inocência e o desconhecimento de tantas coisas, que hoje na fase madura conhecemos, deixo aqui meu carinho e desejo de que a doce infância e as sublimes lembranças nos façam sentir Deus em tudo, hoje como ontem, presença permanente em nossas vidas! Como nos diz tão bem a mensagem:

"Uma coisa é a gente se arrepender do que fez! Outra coisa é a gente se sentir culpado.
Culpas nos paralisam. Arrependimentos não!
Eles nos lançam pra frente, nos ajudam a corrigir os erros cometidos."

Sigamos sempre firmes, com fé e esperança, na certeza de que tudo que acontece tem uma razão de ser e um motivo para acontecer!
Muita luz!
Um abraço carinhoso!
Nice.

domingo, 3 de abril de 2016

Canção de outono...



O outono toca realejo

No pátio da minha vida.


Velha canção, sempre a mesma,
Sob a vidraça descida...


Tristeza? Encanto? Desejo?
Como é possível sabê-lo?


Um gozo incerto e dorido
de carícia a contrapelo...



Partir, ó alma, que dizes?
Colher as horas, em suma...




mas os caminhos do Outono
Vão dar em parte alguma!




Poema de Mario Quintana.


Com esse lindo poema do querido Mario Quintana, 
fica aqui o desejo de que as folhas de Outono que caem sejam logo substituídas pelas flores lindas que virão na Primavera!
Que nosso coração esteja cheio de gratidão a Deus por 
nos permitir caminharmos por esses caminhos, hora
atapetados de folhas e depois perfumados pelas flores que 
renascem... Assim é nossa vida!
Eternos e constantes renascimentos...
Muita luz! Muita paz! Muito amor!
Um feliz domingo!
Nice.



domingo, 27 de março de 2016

Feliz Páscoa!

 







Que Jesus Nosso Divino Amigo, nos abençoe
neste dia e sempre!!!



Um abraço carinhoso e muita luz!
Nice.



quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Primavera!



Ah! Quem nos dera que isto, como outrora,
Inda nos comovesse! Ah! Quem nos dera
Que inda juntos pudéssemos agora
Ver o desabrochar da primavera!


Saíamos com os pássaros e a aurora.
E, no chão, sobre os troncos cheios de hera,
Sentavas-te sorrindo, de hora em hora:
"Beijemo-nos! amemo-nos! espera!" 



E esse corpo de rosa recendia,
E aos meus beijos de fogo palpitava,
Alquebrado de amor e de cansaço. 




A alma da terra gorjeava e ria...
Nascia a primavera... E eu te levava,
Primavera de carne, pelo braço!

Olavo Bilac, in "Poesias" 



Que a beleza, o perfume e a
delicadeza da Primavera, inundem
 nossas vidas!



Feliz Primavera!

Nice.